Pesquisa confirma: guaraná é antioxidante e anti-inflamatório

Muito além de ser apenas um estimulante natural, ele pode combater doenças como diabetes, câncer, artrite, entre outras

A região amazônica é mesmo uma riqueza para o mundo inteiro! O Brasil se beneficia especialmente dessa região, pois concentra aqui grande parte dela. Não bastasse os efeitos benéficos para o clima do universo, a Amazônia nos presenteia ainda com inúmeros frutos super nutritivos.

Duas pesquisas importantes confirmaram recentemente o poder do guaraná, cujo nome científico é Paullinia Cupana. Muito além de ser apenas um estimulante natural, ele pode combater doenças como diabetes, câncer, artrite, entre outras.

Os estudos só fizeram ratificar o que já era de conhecimento dos povos que habitam a Amazônia há centenas de anos. A sabedoria dos índios locais ganhou agora a assinatura de cientistas renomados.

Foto: depositphotos

Você quer saber quais são as duas propriedades mais importantes do guaraná e como ele pode te ajudar a viver mais e com saúde? Veja agora!

O guaraná é antioxidante

A Universidade de São Paulo, USP, por meio da Faculdade de Saúde Pública a FSP, e com apoio da FAPESP, realizou uma pesquisa para descobrir se o guaraná é mesmo antioxidante. O estudo liderado pela especialista Lina Yonekura, identificou catequinas na composição do fruto. Isso o coloca no mesmo patamar que alimentos já consagrados como o cacau.

Segundo a nutricionista Clarissa Fujiwara, “as catequinas, que pertencem à família dos polifenóis, quando efetivamente absorvidas atuam de forma semelhante à vitamina C e E, podendo reduzir o estresse oxidativo no organismo, que causa doenças neurodegenerativas e cardiovasculares, diabetes e câncer, inflamações e envelhecimento precoce por conta da morte de células, entre outras condições prejudiciais à saúde e ao bem-estar”.

Guaraná é anti-inflamatório

Outra comprovação importante foi revelada pelos pesquisadores da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais, a UFMG. A ideia dos estudiosos era confirmar se o guaraná poderia ser usado também para tratamentos de doenças crônicas.

O grupo coordenado pela pesquisadora Rachel Castilho, descobriu que o fruto amazônico possui propriedades que atuam na inibição de uma citocina chamada TBF-alfa que causa inflamação. “Esta é uma das principais moléculas envolvidas no processo inflamatório agudo e crônico, e responsável pelo desenvolvimento de diversas enfermidades”, explica a nutricionista.

Essa descoberta é muito significativa, pois relacionam o tratamento de doenças como reumatoide, psoríase, colite ulcerativa ao poder do guaraná. Com isso, a especialista lembra: “atualmente, há poucos fármacos aprovados que têm o TNF-alfa como alvo. Além disso, os remédios já existentes possuem um custo elevado e efeitos colaterais relacionados”.


Source link