Onde encontrar folhas de graviola para comprar. Veja aqui algumas sugestões

Suas folhas são comercializadas em feiras nas versões secas. As folhas frescas são privilégios de poucas pessoas que cultivam a árvore

A graviola é uma fruta que tem origem nas Antilhas, na América Central. Ela era encontrada nos seguintes países: Jamaica, Cuba, República Dominicana, Santa Lúcia, Bahamas, Barbados e Haiti. No Brasil, ele se adaptou bem graças ao clima tropical que por aqui domina.

A polpa, rica em fibras e vitaminas, é largamente consumida em sucos, vitaminas e sobremesas. E suas folhas são grandes aliadas da nossa saúde. Há indicações do seu uso para: asma, artrite, catarro, cólica, abscesso, diarreia, depressão, hipertensão, diabetes, vermes, reumatismo, obesidade, insônia, inflamação, úlcera, gastrite, intestino preso, gripe, colesterol, enxaqueca e câncer.

Suas folhas são comercializadas em feiras nas versões secas. As folhas frescas são privilégios de poucas pessoas que cultivam a árvore da espécie. Também há opções de cápsulas industrializadas à venda em farmácias e site autorizados na internet. Em uma pesquisa rápida, a média dos preços das folhas secas é R$ 4 para cada 20 g; e pote com 60 cápsulas sai por R$ 40.

Foto: depositphotos

A folha de graviola combate mesmo o câncer?

O maior uso de quem procura pelas folhas da graviola está relacionado ao combate de diferentes tipos de câncer. De acordo com o portal ‘Cancer.org’, essa funcionalidade é graças a um composto chamado acetogenina, que tem função quimiopreventiva.

Apesar do uso popular, ainda não há evidências científicas que comprovem de que a forma como é feito o chá em casa é eficiente para prevenir ou combater o câncer.

O que se sabe até o momento é que a graviola e suas folhas, assim como as demais frutas e legumes são eficientes para melhorar o nosso organismo como um todo e podem atuar contra a reprodução desordenada celular que dá origem aos tumores malignos.

Além da acetogenina, outras substâncias evitam a doença, são elas: carotenoides, como o beta-caroteno, presente em abundância na cenoura; o licopeno, presente no tomate; flavonoides, rico nas uvas; os isotiocianatos, que compõem o repolho, brócolis e rabanete; os compostos fenólicos, que são encontrados no feijão.

Vale lembrar que os especialistas afirmam que somente o consumo desses alimentos isolados não são suficientes para evitar o câncer. Mas sim, uma rotina na qual a prática de exercícios e alimentação saudável estejam incluídas. Deve-se evitar, sobretudo, o consumo de alimentos industrializados cheios de conservantes, corantes e outras substâncias maléficas.

Antes de fazer uso das folhas de graviola no chá ou mesmo em cápsulas, é indicado que você consulte o seu médico para que o mesmo possa liberar o seu consumo.


Source link