Melhor só do que mal acompanhado

Certamente você conhece a frase “melhor só do que mal acompanhado”E não existe melhor decisão do que a de escolher a solidão antes do que estar em contato com pessoas tóxicas.

Em certos casos, é complicado nos desfazer de situações, relações e indivíduos que estão fazendo com que nossa vida seja um verdadeiro martírio.

Por que nos mantemos junto a elas? A resposta é simples: por medo.

Melhor só do que uma vida repleta de amargura

Às vezes é melhor estar sozinho do que permitir que nossa vida se transforme em uma existência cheia de tristeza e de amargura. Entenda melhor com alguns exemplos.

Imagine que Cristina, uma mulher de uns 32 anos, está há 5 anos com seu atual parceiro. No entanto, faz algum tempo que a relação já não é a mesma.

Agora, Cristina tem que lidar com discussões que acontecem quase que diariamente.

Não é feliz, já não sente o mesmo por seu parceiro, mas tem um grande medo de jogar para o alto uma relação que já dura tanto tempo. Além disso, o que seus pais dirão?

Assim como ocorre em muitas relações, Cristina focou tanto em seu parceiro que não tem amigos para se apoiar, por isso a situação é complicada. No entanto, somente tem duas decisões para tomar.

Uma delas é seguir com a dinâmica habitual, seguir sendo infeliz e aguentando. Outra é romper sua relação, apesar de todos os medos que tem, porque isso garantirá um novo caminho para seguir, certamente será muito melhor.

Mesmo que você fique sozinho e tenha a sensação de desamparo, talvez este seja mais tranquilo, mais sereno e você seja muito mais feliz.

As relações tóxicas que permitimos em nosso dia a dia

Mulher costurando coração

Existem relações tóxicas que mantemos com outros indivíduos que não necessariamente são pessoas ruins.

No entanto, a relação que estabelecemos com elas não é saudável. Podem existir manipulações, mentiras, inveja e inclusive maus-tratos.

O importante é nos perguntar: o que ganhamos estando ali, permitindo essa situação?

Está claro que não estamos bem, que estamos mal acompanhados. O problema é que temos medo e este nos impede de tomar uma decisão e se afastar.

Como podemos ver, o medo nos acompanha sempre nestas situações e, em certos casos, este temor é aumentado por aquelas pessoas que temos ao nosso redor.

Às vezes, as relações tóxicas se estabelecem com os amigos, com a família ou com o parceiro. A importância que damos determinará também a dificuldade para poder sair de uma circunstância como esta.

A importância de não temer à solidão

Mulher preopupada pela falta de companhia

Estar melhor sozinho não é uma opção para muitos, dado que aprendemos que, se não temos amigos ou parceiro somos, literalmente, uns fracassados.

A solidão não é bem vista. Por isso custa muito nos desprender de certo tipos de relações, mesmo que sejam muito tóxicas.

No entanto, existe algo que não percebemos e é que estamos perdendo nosso valioso tempo. Um tempo que poderíamos aproveitar estando com nós mesmos, conhecendo-nos mais e passando um tempo melhor.

Por que estamos permitindo que nos manipulem? Por que aguentamos até terminar exaustos, as humilhações e os maus-tratos que os outros nos fazem?

Pense se realmente queremos passar o resto de nossos dias assim, passivos, sem tomar uma decisão que nos beneficiará por causa do medo que nos impusemos de estar sós e que nem sequer é nosso.

Sim, como você leu. O medo a solidão é um medo aprendido. Porque se alguém do seu entorno vivesse uma situação similar à sua, certamente você pediria para ir embora, se afastar.

Teria claro o que fazer.

Agora bem, quando vivemos em nossa própria realidade, a questão muda muito de opinião.

É melhor está sozinho do que mal acompanhado, pois é muito mais inteligente escolher ser feliz do que viver amargurado e rodeado de pessoas que em vez de somar, subtraem.

Podemos escolher, assim que o façamos bem. Porque nossa felicidade importa e não temos tempo para perder em tristezas, em maus momentos e em pessoas que nos façam sentir mal.

Não tenha dúvidas. Melhor só do que mal acompanhado.

Imagens: Paula Bonet


Source link