Começar um relacionamento com uma pessoa ferida

Você se sente atraído por essa pessoa ferida que está com o coração partido? Há pessoas que tendem a se tornar salvadores ou curandeiros.

Elas são atraídas por esses tipos de pessoas que precisam de alguém para ajudá-las a se recompor.

No entanto, elas não têm consciência do risco que correm quando mergulham em um relacionamento com uma pessoa ferida.

Esta é uma pessoa que precisa passar por um duelo e que precisa ficar sozinha por um tempo.

Complexo de curandeiros ou enfermeiros de plantão

Ter um complexo de curandeiros ou enfermeiros de plantão nos torna conscientes de qualquer pessoa ferida que possa precisar de nossos cuidados.

Talvez uma pessoa foi destruída por uma relação tóxica, foi violada, danificada, humilhada…. Alguém que não sabia como amá-la e nós a acolhemos como se ela não pudesse se defender.

Lambemos as feridas, desfrutamos do momento em que damos mil esperanças e esperamos até que ela dê um pequeno passo em frente.

Você consegue se reconhecer entre pessoas com esse perfil? Se você tiver um complexo de curandeiro, talvez os motivos estejam descritos abaixo:

  • Seus pais não sabiam como cobrir suas necessidades básicas quando criança ou dar-lhe o amor e a atenção que você precisava. Você compensa isso na outra pessoa.
  • Seus parceiros eram todos muito autoritários e agressivos, então você contempla as pessoas mais vulneráveis ​​e danificadas por outros como possíveis parceiros perfeitos. Você vai em direção ao extremo oposto.
  • Desde a sua primeira infância, você vivia agradando aos outros, então você está sempre à disposição cuidando de alguém e se entregando a tudo que ela precisa.
  • Devido ao medo de abandono e rejeição, você acredita que ser complacente e lamber as feridas de alguém vai fazer essa pessoa querer ficar com você. Você considera que sua maneira de agir fará com que os outros paguem o favor dessa maneira.

Como você viu, a atitude de acolher uma pessoa ferida sem lhe dar tempo para se curar é resultado de uma experiência difícil que foi vivida.

O que não percebemos quando iniciamos um relacionamento com uma pessoa ferida é que, no final, os que acabarão feridos seremos nós mesmos.

Começar um relacionamento com uma pessoa ferida

Mulher que acaba de romper o relacionamento

Podemos dizer que é praticamente certo que esta pessoa ferida acaba renascendo e seguindo em frente graças aos cuidados de quem a acolheu.

No entanto, o que acontece quando ela renasce? O que acontece é que o ferido toma voo e sai por aí, deixando aquele que cuidou de sua dor solitário e abandonado.

Esta situação deixa a pessoa curadora destruída. Não só porque ela deu tudo por alguém que estava ferido, mas porque, quando a pessoa vai embora, o que ela deixou?

Além de ter que recolher seus pedacinhos, você deve recuperar sua dignidade. Mas acima de tudo, enfrentar seus medos mais profundos: a solidão, o abandono, e a humilhação de não ter sido escolhido.

O mais curioso é que você pensará que a outra pessoa é ingrata. No entanto, você não hesitará em encontrar outra pessoa ferida ao longo do caminho e começará uma relação novamente.

Cada um deve salvar a si mesmo

Relacionamento com uma pessoa ferida e irada

Pessoas que costumam ser salvadores acreditam que isso é positivo. No entanto, elas afastam os outros da possibilidade de enfrentar a dor sozinhos.

Não podemos salvar os outros. Isso impedirá que eles se fortaleçam, sem saber que podem se recompor e que não precisam de ninguém para vencer suas batalhas por eles.

Entrar em um relacionamento com uma pessoa ferida é correr um grande risco. O risco de que, quando ela estiver curada, nos abandonará. O risco de curar alguém e depois esse alguém se tornar uma pessoa tóxica no futuro.

Temos que parar e não entrar em relacionamentos com pessoas feridas e que se sentem incompletas. Para iniciar uma relação saudável, ambas as pessoas devem ter resolvido seus problemas de antemão.

Caso contrário, o relacionamento estará condenado ao fracasso e, no pior dos casos, nos prejudicaremos mais do que podemos imaginar.


Source link

Loading...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*